não disponível

Freguesias

Agosto 22, 2013 09:20 AM

Conheça aqui as pricipais propostas do projecto do Bloco de Esquerda para a União das Freguesias do Coronado ao nível :

- Acção Social

- Emprego

- Assessibilidades

- Serviços Públicos e Infra-Estruturas

- Ambiente

- Cultura

-Associativismo

 

É neste projecto de Esquerda, que os Romanenses e Mamedenses se irão rever, e que deverão apostar para acabar de vez com a atrofia e com o abandono a que têm estado voltados ao longo das últimas décadas, por parte dos sucessivos executivos camarários.

Agosto 21, 2013 01:36 AM

 

Acredito que só com ideais de Esquerda, assentes numa matriz igualdade e de solidariedade entre todos, é possível fazer evoluir Guidões e Alvarelhos na actual conjuntura.

Acredito que a vontade de mudar dos  Guidoensese Alvarelhenses, fruto do abandono a que estas duas freguesias têm estado voltadas ao longo das últimas décadas, o qual fará com que Guidoensese Alvarelhensesdesta vez ponderem uma nova alternativa política, séria e inovadora.

Estou totalmente empenhada que os previsíveis efeitos nefastos, quer das políticas da troika, quer da  reforma administrativa  não sejam sentidos nas nossas freguesias.

Entendo que o bem estar dos Guidoensese dos Alvarelhensesdeve estar sempre primeiro que o racionalismo económico de uma qualquer reforma administrativa.
Na União de Freguesias de Alvarelhos e Guidões as pessoas estarão na primeira linha da minha actuação. O nosso projecto para  a União de Freguesias de Alvarelhos e Guidões, privilegia uma acção social que responda de forma eficaz e humana às  carências das famílias mais necessitadas. Aposta num combate contínuo e sem tréguas ao desemprego, que identifique correctamente as causas  e que ofereça soluções estruturantes e de futuro. Defendemos de forma incondicional todos serviços públicos já existentes nas freguesias e  a ampliação dos mesmos. Reivindicamos a construção  de novas acessibilidades e a melhoria e alargamento das vias já existentes, melhorando  a comodidade e reduzindo os tempos de acesso à sede do concelho. Valorizamos e promovermos o associativismo local. Exploraremos todas as oportunidades oferecidas pela cultura e pelo desporto.

Sónia Moreira

Opinião

Aconteceu no final do mês de outubro de 1979. Pela primeira vez – e, até hoje, a única no nosso país – as trabalhadores domésticas juntavam-se no Pavilhão dos Desportos de Lisboa para realizar o seu primeiro congresso nacional, sob o lema “Dizemos não à servidão”. Nos meses anteriores, o Sindicato do Serviço Doméstico multiplicara reuniões preparatórias e, em junho desse ano, lançara um Inquérito à Opinião Pública, que pretendia formar as delegadas sindicais no contacto com a população, pô-las a socializar, a comunicar na rua, a fazer entrevistas e a distribuir material, a chamar a atenção da sociedade para o Congresso.

A crise pandémica está a criar graves dificuldades financeiras a centenas de associações juvenis em Portugal. As mais de mil associações que compõem o panorama nacional nesta área correspondem a cerca de mil e quinhentos postos de trabalho diretos.