não disponível

Camara Municipal

Agosto 24, 2013 01:48 AM

Conheça aqui o programa do BLOCO DE ESQUERDA TROFA para a REABILITAÇÃO E REGENERAÇÃO URBANA no concelho.

Agosto 21, 2013 01:51 AM

Caros(as) Trofenses,

É por ser Trofense, por ter nascido e crescido na Trofa, e não me conformar com o actual estado de amorfismo e de desorientação do nosso Concelho (que tanto nos custou a realizar) , que aceitei encabeçar a lista do Bloco de Esquerda à Câmara Municipal da Trofa.

Esta candidatura nasce na vontade de inúmeros trofenses em mudar. Mudar para melhor. Por isso, esta candidatura foi intensamente arquitetada, debatida e trabalhada ao longo dos últimos anos, sempre com o empenho, o rigor, o profissionalismo e sobretudo o respeito pelas populações, que sempre caracterizam e diferenciam o Bloco de Esquerda dos restantes partidos. Atingido o seu ponto de maturidade, é esta a altura de apresentar à consideração dos Trofenses, de uma forma simples, poupada e clara o nosso projeto autárquico para a Trofa.

Sei que esta é uma candidatura muito aguardada por todos os Trofenses. Além de ampliar no imediato as possibilidades de escolha ao dispor dos cidadãos eleitores, é a única que garante no futuro uma defesa ativa, empenhada e próxima das populações (em especial dos mais carenciados), que cria estímulos à economia local e ao crescimento do emprego, que luta com determinação e afinco pela defesa e ampliação da rede de serviços públicos, que se inconforma com o estado das nossas acessibilidades, que compreende a urgência de reabilitação urbana, que diz não ao enfraquecimento do poder local, que denuncia abertamente o caciquismo e os abusos de poder. Esta é uma candidatura empreendida no respeito por todos cidadãos Trofenses e assente na defesa incondicional da Autonomia Local.

Com esta candidatura espero colocar ao serviço dos Trofenses um conjunto de ideias e de soluções novas e frescas para mudar e melhorar o município da Trofa.Apesar do apertado garrote financeiro imposto pelas políticas da troika, acredito haver ainda margem para fazer o concelho da Trofa progredir e evoluir, assente numa matriz de Esquerda diametralmente oposta às políticas da direita neoliberal, que estão já hoje a arruinar o nosso país e que poderão a médio prazo riscar do mapa o nosso concelho. Os Trofenses sabem bem que na atual conjuntura, só as forças locais de verdadeira Esquerda garantem a defesa incondicional do nosso município.

Quinze anos de tempo e oportunidades perdidas, atestam bem a incapacidade das forças políticas que até hoje governaram o nosso concelho em levar este jovem, enérgico e empreendedor concelho a bom porto.Talvez os problemas do Concelho da Trofa não sejam somente problemas financeiros. São em muitos casos problemas de falta de vontade, de falta de empenho e de falta de uma estratégia para o futuro. Problemas que urge solucionar.

Os Trofenses ambicionam hoje por mudança. Ambicionam por novas alternativas assentes em ideais de Esquerda. A minha candidatura visa oferecer uma resposta credível, alternativa e de Esquerda a essa justa ambição de mudança.Assumo este desafio com a seriedade, a credibilidade e a ponderação que sempre caracterizaram os autarcas do Bloco de Esquerda. Mas também, com toda a paixão, todo o bairrismo e todo empenho pela nossa terra, tão característica e presente no ADN de todos os Trofenses.

Estou ciente que aceito este desafio num dos momentos mais difíceis da história do nosso Concelho, mas também da história do nosso país. Acredito que mesmo em tempos difíceis há sempre lugar para fazer renascer a esperança num concelho melhor. Há sempre lugar para lutar por um concelho melhor gerido e mais empreendedor. Há sempre lugar para promover o diálogo construtivo entre as várias forças políticas do concelho e dos concelhos nossos vizinhos. Há sempre lugar para oportunidades de mudança e para fazer realizar alguns dos projetoshá muito sonhados pelos Trofenses.

Conheço bem as inúmeras potencialidades dos Trofenses e estou convicto que estarão à altura deste grande desafio de mudança. Estou convicto que naqueles dez segundos em que os Trofenses decidem o seu futuro e o futuro colectivo da Trofa, lembrar-se-ão é das propostas apresentadas pelas candidaturas do Bloco de Esquerda.

Sei que posso contar com apoio de todos os Trofenses, os Trofenses sabem que podem contar comigo para realizar a sua VONTADE DE MUDAR.

Gualter Costa

Agosto 21, 2013 01:17 AM

Programa Eleitoral do Bloco de Esquerda Trofa para as Eleições Autárquicas de 2013.

Agosto 21, 2013 12:45 AM

Caros(as) Trofenses,

É por ser Trofense, por ter nascido e crescido na Trofa,  e não me conformar com o actual estado de amorfismo e de desorientação do nosso Concelho (que tanto nos custou a realizar) , que aceitei encabeçar a lista do Bloco de Esquerda à Câmara Municipal  da Trofa.

Esta candidatura nasce na vontade de inúmeros trofenses em mudar. Mudar para melhor. Por isso, esta candidatura foi intensamente arquitetada, debatida e trabalhada ao longo dos últimos anos, sempre com o empenho, o rigor, o profissionalismo e sobretudo o respeito pelas populações, que sempre caracterizam e diferenciam o Bloco de Esquerda dos restantes partidos. Atingido o seu ponto de maturidade, é esta a altura de apresentar à consideração dos Trofenses, de uma forma simples,  poupada e clara o nosso projeto autárquico para a Trofa.

Sei que esta é uma candidatura muito aguardada por todos os Trofenses. Além de ampliar no imediato as possibilidades de escolha ao dispor dos cidadãos eleitores, é a única que garante no futuro uma defesa ativa, empenhada e próxima das populações (em especial dos mais carenciados), que cria estímulos à economia local e ao crescimento do emprego, que luta com determinação e afinco pela defesa e ampliação da rede de serviços públicos, que se inconforma com o estado das nossas acessibilidades, que compreende a urgência de reabilitação urbana, que diz não ao enfraquecimento do poder local, que denuncia abertamente o caciquismo e os abusos de poder. Esta é uma candidatura empreendida no respeito por todos  cidadãos Trofenses e assente  na defesa incondicional da Autonomia Local.

Com esta candidatura espero colocar ao serviço dos Trofenses um conjunto de ideias e de soluções novas e frescas para mudar e melhorar o município da Trofa.Apesar do apertado garrote financeiro imposto pelas políticas da troika, acredito haver ainda margem para fazer o concelho da Trofa progredir e evoluir, assente numa matriz de Esquerda diametralmente oposta às políticas da direita neoliberal, que estão já hoje a arruinar o nosso país e que poderão a médio prazo riscar do mapa o nosso concelho. Os Trofenses sabem bem que na atual conjuntura, só as forças locais de verdadeira Esquerda garantem a defesa incondicional do nosso município.

Quinze anos de tempo e oportunidades perdidas, atestam bem a incapacidade das forças políticas que até hoje governaram o nosso concelho em levar este jovem, enérgico e empreendedor concelho a bom porto.Talvez os problemas do Concelho da Trofa não sejam somente problemas financeiros. São em muitos casos problemas de falta de vontade, de falta de empenho e de falta de uma estratégia para o futuro. Problemas que urge solucionar.

Os Trofenses ambicionam hoje por mudança. Ambicionam por novas alternativas assentes em ideais de Esquerda.  A minha candidatura visa oferecer uma resposta credível, alternativa e de Esquerda a essa justa ambição de mudança.Assumo este desafio com a seriedade, a credibilidade e a ponderação que sempre caracterizaram os autarcas do Bloco de Esquerda. Mas também, com toda a paixão, todo o bairrismo e todo empenho pela nossa terra, tão característica e presente no ADN de todos os Trofenses.

Estou ciente que aceito este desafio num dos momentos mais difíceis da história do nosso Concelho, mas também da história do nosso país. Acredito que mesmo em tempos difíceis há sempre lugar para fazer renascer a esperança num concelho melhor. Há sempre lugar para lutar por um concelho melhor gerido e mais empreendedor. Há sempre lugar para promover o diálogo construtivo entre as várias forças políticas do concelho e dos concelhos nossos vizinhos. Há sempre lugar para oportunidades de mudança e para fazer realizar alguns dos projetoshá muito sonhados pelos Trofenses.

Conheço bem as inúmeras potencialidades dos Trofenses e estou convicto que estarão à altura deste grande desafio de mudança.  Estou convicto que naqueles dez segundos em que os Trofenses decidem o seu futuro e o futuro colectivo da Trofa, lembrar-se-ão é das propostas apresentadas pelas candidaturas do Bloco de Esquerda.

Sei que posso contar com apoio de todos os Trofenses, os Trofenses sabem que podem comigo para realizar a sua VONTADE DE MUDAR.

 

                                                                                                                                   Gualter Costa

Opinião

Aconteceu no final do mês de outubro de 1979. Pela primeira vez – e, até hoje, a única no nosso país – as trabalhadores domésticas juntavam-se no Pavilhão dos Desportos de Lisboa para realizar o seu primeiro congresso nacional, sob o lema “Dizemos não à servidão”. Nos meses anteriores, o Sindicato do Serviço Doméstico multiplicara reuniões preparatórias e, em junho desse ano, lançara um Inquérito à Opinião Pública, que pretendia formar as delegadas sindicais no contacto com a população, pô-las a socializar, a comunicar na rua, a fazer entrevistas e a distribuir material, a chamar a atenção da sociedade para o Congresso.

A crise pandémica está a criar graves dificuldades financeiras a centenas de associações juvenis em Portugal. As mais de mil associações que compõem o panorama nacional nesta área correspondem a cerca de mil e quinhentos postos de trabalho diretos.